segunda-feira, 4 de agosto de 2014

“No man is an island”

TechBiz lança a campanha: Nenhum perito é uma ilha

Por Renato Maia*


Queremos estimular a revisão de processos, procedimentos e tecnologias em uso para incorporar definitivamente fluxos de trabalhos colaborativos


“No man is an island”, já dizia o poeta, destacando a importância das conexões sociais e, por que não, da nossa capacidade de, ao colaborar, alcançar resultados muito superiores que a soma das partes individuais. A área de perícia digital entretanto vive - teorizo baseado em minha experiência pessoal -, uma crise de desconexão. Em organizações ligadas a Secretarias de Segurança Pública me parece que a desconexão tem razões históricas e simbólicas, associadas à independência funcional do Perito. Outro aspecto importante para explicar o atual estado é, “mea culpa” incluso, potenciais limitações tecnológicas.

A busca por softwares, hardwares e infraestrutura de apoio quase sempre seguia um caso de uso clássico e desconectado: dados digitais nos mais variados formatos e “containers” são apreendidos, duplicados de maneira válida, pré-processados, analisados por um expert ou perito que, finalmente, gera um relatório e, tipicamente, exporta partes dos dados para devolução à área demandante. Repete-se, isoladamente e independentemente, este padrão, mesmo que envolva múltiplos casos e/ou mais de um expert/perito. Em alguns casos, questionamentos adicionais feitos pela área demandante geram uma repetição do processo de maneira independente da primeira análise. Quase como se fosse um novo caso. Entre envio de laudos, dados, relatórios e novas solicitações e demandas, existe uma enorme lacuna. De tempo, eficiência, comunicação... Um sério problema e ao mesmo tempo uma enorme oportunidade de ganhos de produtividade e qualidade.

Passou da hora de alterarmos este quadro, acabar com este paradoxo irônico: passamos as últimas décadas – a área macro de Tecnologia da Informação – informatizando as mais diversas áreas, “vendendo o peixe” da colaboração através de sistemas interconectados e operacionalizamos as perícias, auditorias e investigações destes mesmos sistemas em ilhas, ignorando os enormes ganhos de produtividade potenciais.

Oficializamos esta urgente necessidade com uma campanha “Nenhum Perito é uma Ilha” cujo foco é estimular a revisão de processos, procedimentos e tecnologias em uso para incorporar definitivamente fluxos de trabalhos colaborativos. Temos convicção de que esta mudança de paradigma será essencial para continuarmos produtivos nesta nova era em que Perícia/Forense/Investigações Digitais se fundem com Big Data.

* Renato Maia é sócio-fundador e diretor técnico do Grupo TechBiz